06/05/2014

Clube de Cinema exibe, Maranhão 66 e Luíses - Solrealísmo Maranhense.


Somos todos Luíses

Dia 10 de maio, a Fortaleza de São José será o cenário do segundo dia da programação de 4 anos do Clube de Cinema, o cineclube do Festival Imagem-Movimento (FIM). A partir das 16h, acontece o Piquenique Musical, com os músicos Lara Utzig e João Amorim.  Às 19h tem início a exibição de filmes, com o curta-metragem Maranhão 66 e em seguida o longa Luíses – solrealismo maranhense, que faz parte da seleção oficial da 13ª Mostra do Filme Livre (MFL).

Maranhão 66, filmado dois anos após o golpe militar de 1964, foi encomendado a Glauber Rocha pelo então recém-empossado governador do Maranhão, José Sarney. A oposição entre oratória e realidade aponta para a necessidade urgente de transformar as palavras em ações, no intuito de promover o bem estar social. Algo que nunca aconteceu.

A cada ano a MFL realiza parcerias com cineclubes de todo o Brasil atingindo novos públicos e distribuindo os filmes livres, buscando fortalecer o cinema alternativo brasileiro. De 108 inscritos, o Clube de Cinema foi um dos 33 selecionados para receber a açãoCineclubes Livres 2014, da MFL.

Não por acaso, dos filmes disponíveis para exibição, o Clube de Cinema escolheu Luíses – Solrealismo Maranhense, que bem poderia se chamar Solrealismo Amapaense.  A mesma serpente que lentamente desperta no Maranhão, precisa despertar aqui. A Cobra Grande que dorme junto à Pedra do Guindaste, sob a vigilância atenta de São José, despertará junto com a consciência e força de vontade do povo amapaense para libertar-se de velhos fantasmas. O corpo contorcido em “S” da Cobra Grande está entorpecido da espera. Luíses mistura ficção, realidade e poesia para abordar aspectos sociais e políticos do Maranhão que vive à sombra do sobrenome “Sarney”.  Ou seria o Amapá?

Após a exibição dos filmes, a produtora de Luíses, Keyci Martins, participará de uma roda de conversa para compartilhar suas experiências na produção do filme e no Éguas Coletivo Audiovisual, que fundou no Maranhão o movimento cultural Solrealismo, indo além do filme manifesto e agregando atores, cantores, artistas plásticos, fotógrafos, cineastas e todo o coletivo pela transformação social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...