30/11/2011

Alunos praticam interpretação frente as câmeras

Em mais um dia do curso “O ator no cinema”, o ministrante Aluizio Guimarães começou as atividades fazendo uma leitura sobre as diferenças da atuação no teatro e no cinema. Em seguida, discutiu com os alunos sobre a importância de realizar as devidas adaptações e de como é essencial que se pareça mais natural possível. Antes de começar a parte prática, uma grata surpresa: o cineasta paraense Cássio Tavernad que veio prestigiar o curso do novo amigo, Aluizio. Sinta o clima do que rolou nesta tarde através dos registros feitos pelos olhos clínicos de Aog Rocha, Maksuel Martins e Mário Dias.

O exercício de hoje foi colocar os atores diante de uma câmera para que eles interpretassem o texto, previamente feito por eles, e passassem pela análise do diretor para que indicasse onde o ator deveria mudar para adaptar para a telinha.

Para Alcemy Araújo, apesar da experiência no teatro e TV, a linguagem do cinema e da TV são parecidas, mas cada uma tem suas particularidades. Segundo ele, esta é uma oportunidade única, visto que um curso voltado para atores no cinema não é comum acontecer em Macapá, e considera que o conteúdo passado por Aluízio é muito rico de detalhes que, parecem pequenos, mas fazem toda a diferença.

Raimundo Tito disse que não tem muita experiência em atuar, seu interesse maior é no ramo da direção de cinema. Entretanto, ele veio aprender um pouco mais sobre como atuar e, ao mesmo tempo, absorver os conhecimentos do cineasta em direção de cinema para por em prática em uma produção futura. Mas, assim como nos outros dias, ninguém ficou parado. Além da experiência no vídeo, os alunos foram divididos em duplas e fizeram pequenas simulações. Tudo isso regado a muitas risadas.

Ainda hoje, saiba como foi a terceira sessão do Clube de Cinema Especial com filme “Borras de Café” que contará com a presença do diretor da obra, Aluizio Guimarães. Tchau!!!


Três vezes FIM

Hoje no FIM teremos a mostra especial com o Diretor e Teatrólogo Aluizio Guimarães. No formato de cineclube as exibições ocorrerão no Auditório do MIS | AP (2º piso do Teatro da Bacabeiras):
Como vemos no Blog Eu Sou do Norte
Aluizio Guimarães, que começou sua trajetória artística no teatro e já efetuou diversas outras inscursões no fabuloso mundo da sétima arte, adorou a experiência de lidar com o contexto de uma outra época. “É bom fazer um filme assim porque ele desperta, através das pesquisas, o quanto somos um hommo distantis daqueles que foram os nossos avós. Estamos presos em casa, cercados por uma cerca elétrica e achamos que entramos em contato com todo mundo por um MSN. Fato é que, mesmo no início do século passado, em pleno Brejo paraibano, distante de tudo, as pessoas eram mais humanas, mais próximas, menos burocráticas no abraço e no adeus”, disse o diretor. A equipe de Borra de café é composta ainda por mais de 56 pessoas.
  • "Borra de café" é o terceiro filme da mostra:

Antes teremos os filmes
  • "Cometer": 1º Vídeo Clip da banda campinense A Valsa de Molly.
  •  "O Bolo": Em um único dia, expectativa, prazer e frustração se misturam no cotidiano de um poeta e da sua filha Mirela, revelando um desejo desfeito.
- Boa sessão!!!A partir das 18h 30min

A FESTA DO FIM DO MUNDO



Festa promovida pelo FIM (Festival Imagem-movimento), festival de cinema que tá rolando essa semana.

Com as bandas: Nova Ordem, Vila Vintén, Stereovitrola, Velho Johnny, Arma de Fogo, Urubu Mortalha, Prosa Moderna e Eu, Tu e Jhonny

cinema + rock + metal + punk + flashback + arte

LOCAL: Desvende o enigma no blog (é em Macapá :X)
DIA: 12/03 (sábado)
HORA: 22h
ENTRADA FRANCA!

Veja a programação do FIM: http://fimdecinema.blogspot.com/p/programacao_23.html

29/11/2011

Do micro ao macro: alunos do curso exercitam o olhar cênico

O segundo dia do curso “O ator no cinema” foi marcado pelo exercício de máscara facial do timbre sonoro, onde o ator trabalha a continuidade da ação dramática, ou seja, simula os olhares solicitados pelo diretor de cinema. Confira alguns registros feitos pelos fotógrafos Aog Rocha e Mário Dias na tarde desta terça-feira, 29.

Aluizio Guimarães passando as coordenadas para a atividade

Para Adriana Abreu, participante do curso, com a prática do exercício, fica bem claro o quanto o cinema diverge do teatro "Tudo é ampliado e, como o próprio Aluizio diz, no cinema, o mínimo é o máximo”.

As atividades exigem tanto momentos de descontração...

... quanto de concentração

Os atores passaram boa parte do tempo em movimento

Logo logo vamos postar um vídeo mostrando um pouco dos exercícios praticados pelos alunos nesta tarde e tudo o que aconteceu na segunda mostra de filmes que acontece no auditório do MIS, a partir das 19h. Até mais!!!

Segundo dia de mostra do FIM

A volta ao inFIMnito está apenas começando minha gente!! A nossa viagem rumo ao inevitável FIM não pára: Que tal um segundo encontro hoje, dia (29/11), às 19 hras, no auditório do MIS (segundo piso do Teatro das Bacabeiras)? E aí vamos? Lá vai acontecer a segunda mostra oficial de filmes da 8ª edição do Festival Imagem-Movimento. Serão exibidos três documentários sobre pessoas, suas histórias e suas vidas cotidianas, um filme é da região Norte e os dois outros do Nordeste, cada um com seu olhar especial, e como toda a programação do festival, vale a pena conferir:
Filme: O Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o Marajó.  
Ano: 2010
Duração: 56’                                                             
UF: Barcarena-PA
Sinopse: É um documentário com 56 minutos, uma obra concebida para oferecer ao Brasil e ao mundo a oportunidade de conhecer a trajetória de Giovanni Gallo, museólogo, ex-padre, que atuou por mais de trinta anos junto população mais pobre do Marajó, desenvolvendo ações no campo da promoção humana, preservação da memória histórica e organização das comunidades em Santa Cruz e Cachoeira do Arari, na Ilha do Marajó.
           
 











Filme: Cariri Paraibano                                                
Ano: 2010
Duração: 15’                                                             
UF: João Pessoa-PB
Sinopse: É um curta-metragem que trata de assuntos relacionados com o dia-a-dia de pessoas da região do Cariri paraibano, são mostradas imagens de ações do cotidiano de algumas pessoas, fazendas antigas, mas conservadas até hoje, histórico das origens de algumas famílias (como chegaram até ali), museu com peças antigas, imagens de uma casa de farinhas muito antiga e outros relatos. A trilha sonora é composta por música clássica.
 





  





Filme: JMB, o Famigerado                                            
Ano: 2011
Duração: 105’                                                                 
UF: Recife-PE
Sinopse:
Atentado de bricolagem audiovisual com o sujeito objeto Jornard Muniz de Britto, setentonto bricoleur orgânico/ marginal, cuja figura singular de múltiplos olhos, diversos ouvidos e língua plural conduzem o espectador atravessando o tempo-espaço das linguagens contemporâneas, filmado confortável e desconfortavelmente por uma imperiosa cineasta vampira.
 

28/11/2011

E a maratona de mostras do FIM começou...

Ornamentação alternativa no acesso ao auditório do MIS

Apesar de esta já ser a 8ª edição do festival, é inevitável rolar um friozinho na barriga antes de dar início às atividades. Até mesmo os mais experientes sentiram isso. Verdade! Augusto “Tuto” Pessoa foi o responsável por realizar a cerimônia de abertura, após a exibição dos diários de bordo das edições passadas. É muito legal rever os vídeos dos outros FIMs e constatar que a cada ano, o festival está cada vez melhor. Chega de sentimentalismos, vamos falar sobre a primeira mostra.

Público marcando presença na primeira mostra de filmes

Mesmo iniciando em uma segunda-feira, podemos dizer que começamos com o pé direito. A primeira mostra de filmes do 8º FIM chamou a atenção de quase 30 pessoas, quantidade considerável para o auditório do MIS, palco da exibição dos três filmes desta noite. Entre os presentes, alguns rostos já conhecidos de freqüentadores de cineclubes, porém percebemos pessoas novas que atenderam ao chamado deste festival. Fato que nos anima muito, de poder conquistar um público diferenciado e, conseqüentemente, ampliar ainda mais a quantidade de admiradores de filmes do cenário independente.

Público foi chegando aos poucos durante a exibição

Melhor que isso, foi a surpresa de termos alcançado um número recorde de filmes para a edição deste ano que, de longe, é a maior já realizada. Foram mais de 60 filmes enviados de 11 cidades brasileiras para este evento, o que motivou a criação de mostras extras para que os admiradores da sétima arte possam se “embriagar” com tantos filmes dos mais variados gêneros.

Todo mundo vidrado na telinha

De antemão, queremos agradecer a todos que já vieram (e os que ainda estão por vir) prestigiar este evento que é DE todos e PARA todos! E vamos juntos, rumo ao infinito!!!!


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...