29/11/2011

Segundo dia de mostra do FIM

A volta ao inFIMnito está apenas começando minha gente!! A nossa viagem rumo ao inevitável FIM não pára: Que tal um segundo encontro hoje, dia (29/11), às 19 hras, no auditório do MIS (segundo piso do Teatro das Bacabeiras)? E aí vamos? Lá vai acontecer a segunda mostra oficial de filmes da 8ª edição do Festival Imagem-Movimento. Serão exibidos três documentários sobre pessoas, suas histórias e suas vidas cotidianas, um filme é da região Norte e os dois outros do Nordeste, cada um com seu olhar especial, e como toda a programação do festival, vale a pena conferir:
Filme: O Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o Marajó.  
Ano: 2010
Duração: 56’                                                             
UF: Barcarena-PA
Sinopse: É um documentário com 56 minutos, uma obra concebida para oferecer ao Brasil e ao mundo a oportunidade de conhecer a trajetória de Giovanni Gallo, museólogo, ex-padre, que atuou por mais de trinta anos junto população mais pobre do Marajó, desenvolvendo ações no campo da promoção humana, preservação da memória histórica e organização das comunidades em Santa Cruz e Cachoeira do Arari, na Ilha do Marajó.
           
 











Filme: Cariri Paraibano                                                
Ano: 2010
Duração: 15’                                                             
UF: João Pessoa-PB
Sinopse: É um curta-metragem que trata de assuntos relacionados com o dia-a-dia de pessoas da região do Cariri paraibano, são mostradas imagens de ações do cotidiano de algumas pessoas, fazendas antigas, mas conservadas até hoje, histórico das origens de algumas famílias (como chegaram até ali), museu com peças antigas, imagens de uma casa de farinhas muito antiga e outros relatos. A trilha sonora é composta por música clássica.
 





  





Filme: JMB, o Famigerado                                            
Ano: 2011
Duração: 105’                                                                 
UF: Recife-PE
Sinopse:
Atentado de bricolagem audiovisual com o sujeito objeto Jornard Muniz de Britto, setentonto bricoleur orgânico/ marginal, cuja figura singular de múltiplos olhos, diversos ouvidos e língua plural conduzem o espectador atravessando o tempo-espaço das linguagens contemporâneas, filmado confortável e desconfortavelmente por uma imperiosa cineasta vampira.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...