06/12/2016

Cineasta Yasmin Thayná vem à Macapá para a Mostra Afroflix



Um dos pontos altos da programação do 13º FIM e que encerra o ciclo de exibições desta edição, a Mostra Afroflix é uma sessão especial com curadoria da cineasta convidada Yasmin Thayná (RJ). A mostra acontece dia 09 de dezembro, no Cine Imperator 3D do Villa Nova Shopping, a partir das 19h com entrada franca.
Yasmin é diretora e roteirista dos filmes “Kbela” e “Batalhas” e recentemente dirigiu 12 episódios da websérie AfroTranscendence; é comunicadora social pela PUC-Rio, escreve para o Quebrando o Tabu, Brasil Post, Nexo Jornal e integra o Coletivo Nuvem Negra (coletivo de estudantes negros da PUC-Rio).   Também é criadora e diretora geral da plataforma online Afroflix, que disponibiliza conteúdos audiovisuais escritos, produzidos dirigidos ou protagonizados por pessoas negras.
Seu curta Kbela, lançado em 2015, é definido pela diretora como “uma experiência audiovisual sobre ser mulher e tornar-se negra”, e alcançou grande sucesso no circuito alternativo de exibição e em festivais nacionais e internacionais, dando nova força a uma importante discussão sobre a produção do cinema feito por mulheres negras e,  lotando salas por onde passou,  instigou novos olhares sobre a ideia de distribuição do cinema nacional.
A convite do FIM, Yasmin realizou a curadoria da Mostra Afroflix, para a qual selecionou sete títulos que compõe o catálogo da plataforma criada por ela. Após a sessão, será promovido um bate papo com a cineasta com o tema “Que estética é essa?”. Mediando a conversa entre a realizadora e o público estará Alzira Nogueira, Assistente Social, Mestre em Sociologia e ativista do feminismo negro.
“No momento atual é possível perceber o quanto tem se discutido sobre a inserção de pessoas negras no cinema. Agora não mais em papéis estereotipados, mas dirigindo, escrevendo, protagonizando e produzindo sobre suas próprias narrativas. A partir da Mostra Afroflix de cinema, a proposta é discutirmos sobre caminhos estéticos do cinema dirigido por realizadorxs negrxs”, afirma Yasmin.

Em exibição:
Lugar de poder ser
Direção: Mayara Mascarenhas
Ano: 2014
Duração: 6’
Origem: São Paulo (SP)
Classificação: Livre
Sinopse: A Gueisha Negra. A invenção de uma religião poética. Os ritos de uma mulher em seu lugar de poder ser.


Juventude é revolução
Direção: Allan Lima e Gessé Silva
Ano: 2015
Duração: 5’46”
Origem: São Paulo (SP)
Classificação: Livre 
Sinopse: Vídeo realizado com os saraus Preto no Branco e Verso em Versos. 
”O estudo é o escudo, conhecimento é libertador e a poesia, salva vidas.”


Oleguns Olo Fê
Direção: Fernando Mamari e Tarsilla Alves
Ano: 2014
Duração:7’
Origem: Rio de Janeiro (RJ)
Classificação: livre
Sinopse: Ele desperta no porto da cidade. Por meio de olhares, percebe que neste caminhar não está só. Seu corpo segue o ritmo dos tambores, que o guiará até seu destino final. Ali, descobre que finalmente sua liberdade está além-mar. "Oleguns Olo Fê", aquele que chegou, falou e se foi.


Ser inata
Direção: Gessé Silva
Ano: 2016
Duração: 1’13”
Origem: São Paulo (SP)
Classificação: 14 anos
Sinopse: Julia está apaixonada e segue em direção da casa do seu grande amor, para fazer uma serenata. O amor não escolhe tipo, amor é amor.


Mina da liberdade
Direção: Chico Furtado
Ano: 2013
Duração: 21’26”
Origem: São Luís (MA) /Brasília (DF)
Classificação: 12 anos
Sinopse: Mina da Liberdade propõe uma imersão no universo cotidiano do Ilê Ashé Ogum e Sogbô durante 3 dias de comemoração do festejo para Ogum, santo da Casa, localizada no Bairro da Liberdade, em São Luís-MA.


Elekô
Direção: Coletivo Mulheres de Pedra
Ano: 2015
Duração: 6’30”
Origem: Pedra de Guaratiba (RJ)
Classificação: 16 anos
Sinopse: Um fio de poesia vermelha conduzindo a experiência audiovisual de fazerse e afirmarse na loucura das condições de ser negra. Olhando a história a partir do porto, reconhecer e afirmar as potências e a beleza. Parir do próprio sofrimento um horizonte de liberdade, apoio e colaboração. Encontrar na presença de outras mulheres a força do feminino e o sagrado sentido de ser, até poder celebrar a vida, em fêmea comunhão e sociedade.


Kbela
Direção: Yasmin Thayná
Ano: 2015
Duração: 23’
Origem: Rio de Janeiro (RJ)
Classificação: 10 anos
Sinopse: Uma experiência audiovisual sobre ser mulher e tornar-se negra.


SERVIÇO:
13º FIM – Mostra Afroflix
Data: 09 de dezembro
Local: Cine Imperator (Villa Nova Shopping)
Duração: 1h10
Horário: 19h
Classificação: 16 anos
Entrada franca, sujeita à lotação da sala de cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...