20/04/2015

Mostras em Movimento - Espaço Caos 20/04




Borum-krenak -11'
A história desconhecida de um povo que sobreviveu à colonização do Vale do Rio Doce. Quando os portugueses chegaram no Sudeste do Brasil, grupos nômades, que se autodenominavam “borum” (o ser), viviam na Mata Atlântica que cobria a bacia do Rio Doce. Como resistiam aos avanços dos colonizadores, os borum se tornaram um empecilho para a Coroa Portuguesa, que declarou a Guerra Justa, legalizando assim sua escravidão e extermínio.


A que deve a honra da ilustre visita este simples marquês - 25'

Max Conradt Jr. guarda a memória de um mundo em sua casa e recebe cada visitante com a mesma indagação: "A que deve a honra de tão ilustre visita este simples marquês?".

De corpo ausente - 7'15''

Narra os chamados “desaparecimentos forçados” ocorridos na cidade do Rio de Janeiro, atingindo principalmente jovens negros e de baixa renda. Por um lado, marcado por histórias de tristezas, angústias e sofrimentos que envolvem as mães dos jovens desaparecidos em busca de notícias; por outro lado, marcado pelo descaso e omissão do Estado e autoridades policiais.

Não me deixavam lutar - 2'37'’ Como qualquer garoto de sua idade, ele queria lutar. Mas ele não era como qualquer garoto. Superação, garra e vontade: a surpreendente história real de Gabriel Neves.

Retrato de dora - 15'
Após encontrar dezenas de fotografias da avó jovem, neta pede para ouvir as histórias de sua vida.

Salvem o rio - 6'02'' 
Documentário sobre rio poluído, que divide duas cidades.

Sujeito oculto na rota do grande sertão - 26'
Na Rota do Grande Sertão é uma jornada pelo norte de Minas Gerais, por onde, em 1952, Guimarães Rosa se aventura em uma boiada capitaneada por Manuelzão. O sertão, os vaqueiros, a linguagem, a toada, o boi, as fazendas, as veredas, o desastre e os sertanejos, os aboios, a relação do vaqueiro com o sertão, sua fala, seus relatos, as veredas mortas, as ruínas encarquilhadas verde, as cinzas do fogo criminoso e a imagem interditada do escritor compõem o trajeto do documentário. Um filme que aborda a morte da memória e a morte da figura do vaqueiro.

Sobre viver - 14'25
Quando pensamos em vegetarianos, costumamos associar à imagem de uma pessoa preocupada com os animais. Mas o vegetarianismo vai mais além. É preocupação com os animais, com a saúde, com o planeta, com a sustentabilidade e consequentemente, com a sobrevivência.

Capela - 11'51''
Quando habitante e habitado refletem uma mesma réstia de luz. A luz do tempo e o silêncio desenham seus enigmas, e os ouvidos de todos, e do tempo, ouvem a ladainha da história.

Música em peso de primeira - 7'12''
Show em pleno açougue!

No olho da rua - 19'59''
Três moradores de rua e dois jornalistas compartilham uma visão comum: de que a comunicação pode (e deve) ajudar a mudar a realidade injusta de quem mora nas ruas. Francisco alimenta um blog com fotos que registram o cotidiano das ruas de várias cidades brasileiras e ministra oficinas de fotografia para outros moradores de rua. Adriano e Paulo ajudam a compor as pautas do jornal A Laje, produzido pelo Movimento Estadual de População em Situação de Rua e por alunos de jornalismo da UFPR. Enquanto os jornalistas José Carlos e Mauri consideram um dever do jornalismo pautar temas sociais na imprensa diária.


O Brasil na terra do misha - 26' 07''
O Brasil na Terra do Misha trará ao espectador um momento olímpico brasileiro nem tanto lembrado no Brasil – exceto pelas festa, marcando já a saudade que as Olimpíadas de Moscou deixavam, mas de destacada relevância para diversos esportes compreensão das transformações que se seguiram no mundo e na reafirmação dos ideias olímpicos como uma das possibilidades de unificação dos povos.

O som da caixa preta - 7'
Apesar da avançada idade Seu Joca se recusa a esperar a morte jogando dama em um banco de praça. Passa seu dias tocando trompete e distribuindo poesia pelas calçadas do Rio de Janeiro.

Passando chapéu - 14'42'’ O filme relata uma viagem de dois artistas circenses, Luisa Guedes e Rodrigo Bruggemann e seus palhaços, Pepita e Piruá, pelo interior do Rio Grande do Norte em uma Kombi, as dificuldades e alegrias em apresentações que fizeram em praça públicas de pequenas cidades levando a arte circense de forma pura e inocente para população de 7 municípios do sertão RN.

-------
20/04/2015
Espaço Caos - Arte e Cultura
18h
Entrada Franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...